Universo da Espiritualidade
xMudras para a saúdeMudras Para Atrair RiquezaMudras de ProteçãoMudras Conexão Divina
xManual de MudrasBotânica Medicinal e místicaProsperidade Através dos MantrA Natureza Contra a DepressãoLOJA
xPaz de EspíritoMeditação de Cura
xMantras de CuraMantras para a ProsperidadeMantras para Meditação
xTerapias HolísticasTerapias ChinesasEFTTécnica KarunaReiki
xCuraProteçãoPerdãoProsperidade
xSímbolos de ProteçãoSímbolos de CuraSímbolos de Prosperidade
xBotânica OcultaBotânica Medicinal
xCorpo mente e alma
xTerapias dos Chakras
Terapias>Terapias Holísticas>TERAPIA HOLÍSTICA: 11 TÉCNICAS PARA A CURA DAS DOENÇAS DOS OLHOS

TERAPIA HOLÍSTICA: 11 TÉCNICAS PARA A CURA DAS DOENÇAS DOS OLHOS

TERAPIA HOLÍSTICA: 11 TÉCNICAS QUE PODEM CURAR DOENÇAS DA VISÃO

 

O método do Dr. William Horatio Bates visa fortalecer os músculos do globo ocular para que eles cumpram perfeitamente sua função, trazendo como resultado a restituição da capacidade de visão. Consiste em exercícios simples, que devem ser praticados regularmente, servindo tanto para recuperar como para manter a boa visão.



Segundo Dr. Bates, a capacidade de focar objetos não é proporcionada apenas pelo cristalino, como acreditam os oftalmologistas tradicionais, mas também pela ação de músculos, que determinam o formato e a posição de todo o globo ocular e, consequentemente, do cristalino.

 


 



O método proporciona uma melhoria substancial da visão, o que jamais foi promovido pelo uso lentes. É indicado a todos os problemas de refração da vista (exceto quando há degeneração, infecção ou lesão no globo ocular), sendo muito eficaz nos problemas comuns, como miopia, astigmatismo, hipermetropia e presbiopia. As crianças também podem fazer os exercícios.

 

 EXERCÍCIOS


Empalmar:
Este exercício promove o relaxamento dos nervos sensoriais, livrando da tensão física e mental.
Sente-se com os cotovelos apoiados em algum local (uma mesa ou escrivaninha). Mantenha nuca e coluna eretas, confortáveis e relaxadas. Cubra os olhos com a palma das mãos em concha sem tocar os olhos, eliminando toda a luz. Se o exercício for feito corretamente, você sentirá seus olhos como veludo negro, livres de cores e imagens. Quanto mais relaxado você estiver, maior o grau de escuridão. Não conseguir escuridão total significa que você ainda não está plenamente relaxado. Quanto mais escuro você perceber, maior o seu grau de relaxamento mental. Isso pode ocorrer em cinco ou dez minutos.
O exercício é benéfico a todos, sobretudo a quem passa o dia com os olhos concentrados, e pode ser feito diversas vezes ao dia.
Depois de tirar as mãos dos olhos, pode-se ver com mais nitidez os objetos que nos rodeiam.

 

Relaxamento:

Feche os olhos e tampe-os com um manto preto ou escuro. Pense num objeto em movimento contínuo, como uma bola quicando ou numa hélice de ventilador. Mantenha-se com o corpo em repouso por volta de cinco minutos ou quanto tempo você puder manter-se em total concentração nessa posição. Após os cinco minutos ou mais, fique na mesma posição e mentalize a escuridão total. Tente só ver o preto por aproximadamente cinco minutos ou mais.

 

Luminosidade:
Sentado, relaxadamente fite o sol com os olhos fechados. Quando suas pálpebras amornarem com o calor, vire a cabeça lentamente para os lados e volte à posição inicial por alguns minutos.

 

Piscamento:
Após os exercícios de relaxamento, pisque contínua e suavemente por pelo menos cinco minutos.
 

Visualização: 
Olhe ao seu redor e mire qualquer objeto que esteja a uma distância de pelo menos três metros de você. Procure pormenores. Por exemplo: veja o guarda-roupa; depois se detenha na porta dele; procure o puxador; depois a fechadura; e por último o buraco desta fechadura. Mesmo não podendo vê-los, procure-os e veja-os mentalmente como você sabe que eles são. Tente repetir a visão do mesmo objeto seguidamente por vários dias. Escolha por dia pelo menos três objetos para procurar detalhes.

 

Focalização:
Coloque um objeto bem próximo a você e procure outro que esteja pelo menos a seis metros de sua distância. Ele deve ser de um tamanho confortável a sua visão. Focalize o primeiro por alguns segundos, depois focalize o outro por mais alguns segundos. Faça isso várias vezes, sempre num movimento contínuo e constante.

 

Imagem inversa:

Sente-se numa cadeira giratória, rode-a para o lado direito e olhe para o lado esquerdo, lentamente e alternando a direção. Se não tiver uma cadeira giratória, rode seu corpo sobre seus calcanhares ou ande de costas pela casa. Faça este exercício por alguns minutos.

 

Rotação:
Gire os olhos buscando as extremidades num movimento contínuo e lento. Após algumas voltas, mude a rotação para o lado oposto. Faça este exercício por alguns minutos.

 

Extremidades:

Como uma bússola, leve os olhos para o norte, depois para o sul, leste, oeste, nordeste, sudeste, noroeste e sudoeste. Como os exercícios anteriores, faça os movimentos lenta e continuamente por alguns minutos.

 

Leitura de cima para baixo:
Este exercício desenvolve o hábito de mover os olhos e dar-lhes fixação central.
Segure o livro de cabeça para baixo a 35 centímetros de distância. Começando do canto direito inferior, leia da direita para a esquerda; leia cada palavra individualmente e, as palavras extensas que não possam ser lidas de um relance, leia sílaba por sílaba. Cada palavra deve ser lida com os olhos e não adivinhada pelo sentido. Se apenas um dos olhos estiver afetado, tape a vista boa com uma venda e exercite a vista afetada.

 

Leitura de tipos miúdos:
Tente ler textos com tamanho de fonte menor. A vista perfeitamente normal consegue ler o tipo 8 a uma distância de 15 centímetros do olho e o tipo 12 tanto a 15 como a 50 centímetros de distância.

 

 

Nota: As informações e sugestões contidas neste artigo têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamentos de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas.

 

Namastê! 

Nina Greguer 

FONTE: curapelanatureza